Arquitetura Brutalista: A renascença de um estilo

ANTES UM ESTILO ABANDONADO, A ARQUITETURA BRUTALISTA TEM ENCONTRADO UMA NOVA RECEPÇÃO ENTRE O PÚBLICO, COM SUAS IMPONENTES CONSTRUÇÕES.

POR GABRIEL CARDOSO

Arquitetura Brutalista: A renascença de um estiloom o tem­po, fui con­quis­ta­do pela arquite­tu­ra bru­tal­ista e seu esti­lo úni­co de con­strução. Grandes obras que prezam as for­mas “bru­tas” da con­strução e os mate­ri­ais com aspec­to maciço.

Arquitetura Brutalista: A renascença de um estilo

Origens do Brutalismo

   O bru­tal­is­mo sofreu equívo­cos des­de seu nome. Eti­mo­logi­ca­mente, bru­tal­is­mo veio do ter­mo francês “Béton Brut” — i.e. con­cre­to bruto/cru — que era usa­do para se referir às con­struções que subi­am rap­i­da­mente para recu­per­ar os danos cau­sa­dos pela segun­da guer­ra mundi­al.

   Con­sid­er­a­da como um dos primeiros exem­p­los e unifi­cadores da filosofia da arquite­tu­ra bru­tal­ista, a “Unité d’habitationfoi a respon­sáv­el pela reper­cussão do esti­lo que con­quis­tou muito da arquite­tu­ra no con­ti­nente Europeu e Amer­i­cano.

Arquitetura Brutalista: A renascença de um estilo

   Nos anos seguintes, con­struções de todo o mun­do começaram a ado­tar o esti­lo e grandes arquite­tos se aven­tu­raram nes­sas con­struções e que, por muitos deles, eram con­sid­er­adas “exper­i­men­tos soci­ais”. As primeiras con­struções que ado­taram a arquite­tu­ra bru­tal­ista tin­ham como obje­ti­vo a função sob a for­ma, espe­cial­mente nas habitações soci­ais con­struí­das no pós-guer­ra. O esti­lo arquitetôni­co tam­bém foi ampla­mente ado­ta­do pelos país­es comu­nistas, que influ­en­cia­ram ain­da mais o desen­volvi­men­to do esti­lo.

   Cer­ta­mente o esti­lo da arquite­tu­ra bru­tal­ista impres­sio­nou o imag­inário do oci­dente. As impo­nentes con­struções foram crit­i­cadas pelo destaque neg­a­ti­vo no ambi­ente urbano por seu visu­al destoante dos mod­e­los arquitetôni­cos ante­ri­ores. Então, ten­ha certeza, se você vir uma grande con­strução de con­cre­to, que pareça ter saí­do dire­ta­mente de um filme de ficção cien­tí­fi­ca e seja rec­hea­da por fortes ângu­los, você estará diante de um exem­p­lo da arquite­tu­ra bru­tal­ista.

   Essa “mar­ca” neg­a­ti­va que a arquite­tu­ra bru­tal­ista tem, em grande parte foi a respon­sáv­el por uma cer­ta cruza­da con­tra as con­struções e, por fim, seu “aban­dono”. O desca­so públi­co e o mau envel­hec­i­men­to que as con­struções de con­cre­to sofrem, trans­for­maram-nas quase em cica­trizes na pais­agem urbana.

Arquitetura Brutalista: A renascença de um estilo

   O aspec­to “bru­to” que esse esti­lo pas­sa e sua “aver­são” à human­iza­ção foi exata­mente o pon­to que cau­sou o fascínio nas pes­soas.  E um dos prin­ci­pais respon­sáveis por essa pop­u­lar­iza­ção da arquite­tu­ra bru­tal­ista não foi nada menos que o cin­e­ma ao cap­tar diver­sas obras que explo­ram essas con­struções de maneira sin­gu­lar.

   Essas e muitas obras aju­daram a arquite­tu­ra bru­tal­ista a rece­ber maior recon­hec­i­men­to dos públi­cos mais jovens por todo mun­do, pro­por­cio­nan­do um renasci­men­to nesse esti­lo arquitetôni­co que ficou “mor­to” por quase todos os anos 90 até recen­te­mente.

A arquitetura brutalista no Brasil

   O Brasil tam­bém está no mapa das obras bru­tal­is­tas, com grandes arquite­tos que exper­i­men­ta­ram o esti­lo e con­struções recon­heci­das no mun­do todo. Grandes nomes da arquite­tu­ra brasileira se aven­tu­raram no esti­lo bru­tal­ista, como Lina Bo Bar­di, Affon­so Eduar­do Rei­dy e Paulo Mendes da Rocha. Um dos maiores difer­en­ci­ais da arquite­tu­ra bru­tal­ista brasileira era sua ide­olo­gia que, ao con­trário de prezar uni­ca­mente a fun­cional­i­dade, criou um esti­lo úni­co, diferindo de todas as refer­ên­cias mundi­ais.

   A pop­u­lar­iza­ção da arquite­tu­ra bru­tal­ista no Brasil teve seu auge durante a ditadu­ra mil­i­tar, quan­do grandes pré­dios públi­cos foram lev­an­ta­dos. Espe­cial­mente na cap­i­tal paulista, onde surgiu a Esco­la Paulista de arquite­tu­ra, que bus­ca­va solu­cionar os prob­le­mas da ráp­i­da urban­iza­ção e neces­si­dade de mora­dia. Con­struções que vemos diari­a­mente como estações de metrô, pré­dios de ban­cos públi­cos e algu­mas esco­las foram con­struí­dos seguin­do os pre­ceitos de con­cre­to cru da arquite­tu­ra bru­tal­ista.

Brutalismo residencial

   Uma das prin­ci­pais car­ac­terís­ti­cas da arquite­tu­ra bru­tal­ista é um cer­to “dis­tan­ci­a­men­to” da sociedade, porém isso não impediu que arquite­tos res­i­den­ci­ais se aven­turassem neste esti­lo. Na últi­ma edição da revista Dell’Ambiente, você poderá ler uma matéria apre­sen­tan­do o pro­je­to real­iza­do pelo escritório Ter­ra e Tuma, um pro­je­to res­i­den­cial para uma empre­ga­da domés­ti­ca que criou uma ampla e con­fortáv­el residên­cia.

   As residên­cias feitas no esti­lo bru­tal­ista cos­tu­mam ofer­e­cer maiores espaços para os pro­pri­etários, pro­por­cio­nan­do ambi­entes amp­los e are­ja­dos. No entan­to, existe a neces­si­dade de um pro­je­to de pais­ag­is­mo com­ple­to, para que a residên­cia ten­ha o aspec­to de lar.  E com um bom pro­je­to, feito por arquite­tos expe­ri­entes, uma casa de con­cre­to pode ser tudo, menos fria!

   Con­fi­ra alguns dos mel­hores exem­p­los de residên­cias con­struí­das com o esti­lo de arquite­tu­ra bru­tal­ista.

Binh House

House Van Wassenhove

Afeka House by Bar Orian Architects

   Gos­tou do esti­lo e quer aplicar em sua casa? Então, bus­car por uma equipe de arquite­tu­ra que faça seu pro­je­to da for­ma que você dese­ja é indis­pen­sáv­el. Com a Dell’Ambiente, você pode ter sua casa ou aparta­men­to per­son­al­iza­dos.